23 de novembro de 2014

VOU FAZER APENAS UMAS DEZ PERGUNTINHAS

Foi publicada hoje em jornal de Natal matéria falando de um tal "ressentimento que torcedores e membros da diretoria do abc alimentam contra o comportamento de alguns conselheiros do América, a quem acusam de ter oferecido dinheiro a várias equipes para prejudicar o alvinegro, inclusive no tempo em que o ABC estava na série C e o América disputando a série B (http://tribunadonorte.com.br/noticia/ama-rica-depende-apenas-do-pra-prio-desempenho/299171) 

Peraí! Isso é uma séria acusação (devidamente protegida pelo clássico "dizem", "acusam", "falam") que não pode ficar sem esclarecimento. Que partida foi essa? Quem pagou? Quanto foi pago? Quem está alimentando o quê, caro repórter? Claro que para o torcedor, legítimo apaixonado do futebol, o melhor é que o rival fique na pior situação possível. Mas torcedor é diferente: no calor da partida xinga, diz coisas que não costuma dizer fora do estádio, faz gestos, ameaça... Outra coisa é o profissional que atua e interfere diretamente nos resultados dos jogos e nos rumos desse esporte. Que credenciais morais tem um atleta que entrega a partida? Somália e Daniel Amora até pouco tempo eram atletas do América. Estariam onde estão se tivessem tido no passado esse tipo de comportamento contra o atual clube? E o que dizer do dirigente que manda entregar a partida? Como é melhor ser lembrado mais tarde: como aquele que fez corpo mole e prejudicou o rival ou como o que, apesar das pressões dos apaixonados torcedores, cumpriu seu papel com dignidade, profissionalismo e correção? Com que cara é melhor chegar em casa após terminado o campeonato? Conforme disse o jornalista Fernando Amaral em seu blog a respeito desse mesmo assunto: "Nada estará em jogo em termos de classificação... Mas algo muito maior será posto à prova... A dignidade de um clube prestes a completar cem anos de existência... Se o América tiver que cair, que caia enrolado nos próprios erros e não em função de nenhuma falha de caráter."
Pois é: o América não quer favor nem ajuda de ninguém para sair da situação que ele mesmo se colocou e que tem que resolver com a própria força que lhe resta. Mas não deveria ficar alheio aos venenos que estão sendo destilados por aí a troco não sei de quê. O torcedor por sua vez, amparado em seu Estatuto, quer apenas ter seu direito assegurado de que não está sendo feito de bobo e idiota ao pagar ingresso para ver o seu clube jogar e torcer pela disputa limpa dentro de campo.
Mas estamos falando de algo bem maior do que a letra fria da lei.

22 de novembro de 2014

BOA 1 X 0 OESTE. CADA VEZ MAIS DEPENDE DE NÓS

O Oeste estaciona nos 45 pontos e joga a última partida contra o Joinville que, sendo hoje o primeiro colocado com 70 pontos, só precisa de um empate para ser campeão da série B. Mas se o Mecão vence o Paraná, o Oeste não pode nem empatar com o Joinville, pois iguala em 46 pontos conosco e perde nos critérios de desempate. Sendo assim, o bczim pode exercer o seu direito de ser timinho, abrir para o Bragantino, levar uma goleada, que não "inflói nem contribói". Só precisamos vencer sábado que vem. Fácil? Não. Impossível? NÃÃÃO!

15.592 TORCEDORES

Agora dependemos apenas de nós mesmos. Quer dizer, isso se o abcdefg não perder para o Bragantino por 7 x 0, no campo de treinos de Pium, resultado absolutamente normal, mas improvável, já que 7 é conta de mentiroso e isso pode dá na vista. E o Oeste agora está também em posição bastante delicada. Enfim, as coisas melhoraram um pouco para nós, mas não haverá final feliz se nossa equipe não for a Curitiba com toda a garra que lhe faltou em pelo menos trinta dos jogos anteriores.
A torcida do Mecão é o show a parte em 2014. Hoje, 15.592 torcedores estiveram presentes no Arena das Dunas acreditando em um time que não fez boa campanha e em sério risco de rebaixamento. Essa torcida merece toda a reverência. Mais que isso: merece a série B do ano que vem. Isso ninguém tem a menor dúvida.

Que torcida maravilhosa!

Foi para arrepiar hoje no Dunão. A torcida unida, cantando e empurrando nosso time à vitória. Uma festa, um jogo épico com o sofrimento habitual, mas uma vitória para lavar e enxaguar a alma - 1x0 com gosto de goleada. Para completar, recebo de Marcos Formiga (colaborador de primeira linha), lá mesmo no estádio, essa bandeira do América Futebol Clube especialmente confeccionada para ser hasteada no nossa Arena América no dia de sua inauguração. Pra arrepiar, né?

21 de novembro de 2014

REMÉDIO PARA MALA (OU, SOBRE MALAS E FUTRICAS)


Alguns times chegam a essa fase do Campeonato Brasileiro, tanto da Série A como da B,  sem mais nenhuma ameaça ou pretensão. Antecipam férias, dispensam atletas, relaxam. Faltando uma, duas, três ou até mais rodadas, o campeonato deixa de ser interessante para eles e passa a ser perigoso para os demais. Por que a CBF, tão rica e abastada, não institui, além da cota anual que dá aos clubes, um prêmio por vitória? Com certeza dificultaria um pouco a prática das futricas e das famosas malas brancas e pretas de que tanto se fala - mas ninguém nunca viu. Modelo parecido já existe na Copa do Brasil, onde os clubes e atletas certamente lutam para progredir na competição, mas também ficam de olho grande para receber o prêmio em dinheiro por passar de fase.

20 de novembro de 2014

REUNIÃO ARENA AMÉRICA

Apesar do número reduzido de adquirentes de cadeiras e camarotes, reflexo da campanha do time, tivemos uma boa reunião ontem à noite. Prestou-se conta e discutiu-se planos e metas para 2015. Uma boa reunião. Agradecemos a confiança e participação de todos. Entre outras coisas liberamos mais dois lugares em cada camarote a serem adquiridos opcionalmente, iniciaremos a campanha para confecção dos portões - aceitando patrocinadores para tal - e sugerimos o adiantamento das anuidades do próximo ano para fazer caixa. Por fim, reafirmamos nosso compromisso inabalável de seguir com a obra que, se Deus quiser, será inaugurada no ano do centenário do clube. Só depende de nós, né?

19 de novembro de 2014

Pois é, né?

Ele, tão contestado por alguns está fazendo os gols necessários... Daniel Costa o homem da bola parada, da bola em movimento, da bola bem lançada, da bola do gol, né?