17 de abril de 2014

O herói do jogo

cachorro d'água em macro fotografia
Não, não foi Max que tem minha amizade, respeito e admiração, que superou problemas bem maiores que as "cornetas" de alguns insatisfeitos, que mais uma vez foi decisivo, que foi o pedra no sapato do franco-atirador. Também não foi a "lenta defesa" que anulou, literalmente, o rápido, o insinuante, o agudo ataque da águia de Ceará-Mirim. Muito menos foi o rei Arthur que caçado pelo predador baiano, soube, junto com Fabinho, Marcio Passos e demais atletas, suportar e sobrepujar a resistência adversária. Então foi o OC que calou a boca dos franco-atiradores de lá e de cá? Não, o herói do jogo foi o incansável cachorro d'água que desenterrou a caveira de burro que havia no sub-solo daquele campo de jogo. Rapaz competente este bichinho, bastou um punhado deles para acabar com a maldição, né? Teve lepo-lepo, teve?

16 de abril de 2014

Falhou, foi?

Com força MÁXima fomos a Ceará-Mirim e não tomamos conhecimento do tão temido franco-atitador. Vencemos a briosa águia do Seu Barreto por 2x1 e partimos na frente para decidir o título em casa. Fica agora duas pergunta: entenderam porque Max é nosso centro-avante? E o franco-atirador falhou, foi?

NO MEIO DO CAMINHO HAVIA UMA...

 
Uma MAXi-pedra, diga-se.

O recado de Demóstenes

Preleção
É dele, do grande orador ateniense, o recado para nossos atletas e comissão técnica. "Toda vantagem obtida no passado é julgada à luz do resultado final". Entenderam, né? Tragam a vitória, correspondam aos nossos anseios, conquistem o título! De nada adianta uma boa campanha sem o grito de é campeão, num é Demóstenes?

15 de abril de 2014

Com ou sem franco-atirador

Canindé Oliveira foi infeliz. Nunca numa véspera de clássico se poderia motivar tanto o time adversário como ele fez chamando o time de Seu Marcondes de franco-atirador. Era tudo que os lá de baixo, decepcionados com a pífia campanha das letrinhas, queriam. Era tudo o que o pessoal do Globo precisava para incendiar seus jogadores e torcida contra o nosso América. Mas... E daí? Vamos agora nos borrar de medo, ficar cheio de prurido e padecer da síndrome do coitadinho por causa da língua do OC? Uma ova! Somos afeitos às intempéries, temos nossa própria motivação e não carecemos de factoides para isso, vamos pras cabeças buscar este título com ou sem franco-atirador, viu? 

14 de abril de 2014

DEZ VEZES, GLOBO NÃO É FRANCO-ATIRADOR


Pelo contrário:

1 - Ganhou o primeiro turno do Estadual com sobra.
2 - Destaca-se como um dos times brasileiros mais jovens a conseguir título e vaga no campeonato nacional (Série D).
3 - Quer se firmar como grande surpresa do campeonato.
4 - Não vai querer perder a oportunidade de fazer pontos e saldo nesta primeira partida.
5 - Jogará no Barretão com apoio de sua torcida e em sua casa, local onde o América não se saiu bem na temporada em que atuou por lá.
6 - Está uma DECISÃO de campeonato tanto quanto nós. 
7 - Jogará o VERDADEIRO CLÁSSICO do futebol do RN.
8 - Iniciará a partida de amanhã em igualdade de condições com o América (0 x 0). 
9 - A eles somente a vitória interessa.
10 - Não ganhou nada a menos que nós (cada qual tem um turno).


Por tudo isso, muito cuidado O.C., muito cuidado atletas, muito cuidado dirigentes e comissão técnica. Já vimos filme parecido antes (há muito pouco tempo) e ninguém quer o mesmo final se repetindo, né?

Azedo? Eu?!

E SE...* - Parte II

Se Arthur Maia se machucar ou for suspenso é simples: convoca-se a Távola Redonda e quem conseguir retirar a Excalibur da pedra será o novo rei Arthur, né mano?

(*) Responder não ofende.