21 de junho de 2018

De Fraiman a Big Head

Os sucessivos, e não de agora, insucessos do América com a consequente queda do número de jogos anuais reflete no número de sócios, timemania, bilheteria e autoestima do torcedor - Sérgio Fraiman.

Imaginem a penúria da construção da Arena América que, além da crise financeira que o país atravessa, ainda  depende exclusivamente da motivação e doação dos peles vermelhas, né? - Neném Big Head.

20 de junho de 2018

VAR NÃO!


Será que esse tal de VAR deixaria passar esse gol, que fez o time terminar o primeiro turno com mesmo número de pontos do segundo colocado, ganhando no saldo de gols?


E esse pênalti não marcado?
VAR atrás disso não. VAR não!

19 de junho de 2018

Richard Hooker

1554 - 1600
Leio no VP que a direção do América pretende enxugar a folha de pessoal, especialmente aquela ligada diretamente ao futebol. Óbvio que a medida se faz necessário por mais desagradável que seja. Estamos parados, ora pois! Óbvio que a situação impõe cortar a própria carne apesar do pesadume, afinal, como diria o teólogo anglicano Richard Hooker, "as mudanças nunca ocorrem sem inconvenientes, até mesmo do pior para o melhor", né?

O VAR

Essa vem do Neném Big Head, ontem telefonou pra saber minha opinião. 

Dr. se esse tal de VAR (árbitro de vídeo) existisse por aqui, será que tinha gente com tantos títulos?

Sei não, né? 

18 de junho de 2018

Bile

E não é que em plena  copa ainda resta tempo para alguma produção de bile? Deixa pra lá, cada um que faça o melhor proveito de sua vesícula...

Féu número um - Até quando o América suporta esse modelo do século XIX?

Féu número dois - Por que alguns, como a maioria dos médicos, têm a sua doença preferida, hein?

Eu? Sei não, né

16 de junho de 2018

Dos baldrames à cumeeira

Época de copa do mundo, mas não consigo me desligar do América. Não me lembro de momentos tão difíceis como os atuais, independente de nomes, época, ações, atos ou omissões de cada um de nós. De nada adianta querer tapar o Sol com peneira, estamos sim perigosamente divididos e à beira do abismo. Precisamos agir em vez de apenas reclamar ou apontar culpados. Sei que ainda não se pôs o Sol de todos os dias, mas as soluções que leio e escuto mais parecem com a construção de castelos no ar e sem fundações. Rumino e aprecio as ideias de renovação, investimento maciço nas categorias de base, profissionalismo, mudanças e, principalmente a que mais gosto: acabar com a velha forma dos abnegados bancar a conta. Gostaria que  algum cardeal, bispo,  padre, beato ou coroinha,  apresentasse a fórmula da reconstrução do nosso querido América Futebol Clube - dos baldrames à cumeeira - com os devidos mecanismo para tal. Longe se mim apenas desafiar, também não tenho a solução. Estou solidário para ajudar quem quer que chegue, apenas confesso que atualmente vivo no sentimento da dúvida entre a esperança e o temor. Fazer o que, né?

14 de junho de 2018

Non sequitur

Gosto muito dessa expressão (não de segue) que significa que em um dado raciocínio ocorreu um erro lógico e que por isso entre premissas e conclusão faltou a necessária consequencialidade. Por que essa latina justo nesse momento? Porque estamos na temporada de caça às bruxas e na história muitas foram queimadas injustamente partindo de um raciocínio que non sequitur. Isso é da natureza humana, não serei eu a mudar esse comportamento. Sei que a língua nas decepções fica inevitavelmente úmida, mas acredito que às vezes calar não é menos eloquente do que falar, né?